terça-feira, 30 de julho de 2013

Primeiro dia - Maratona Literária

O primeiro dia para mim foi muito corrido, além de descobrir que minha priminha querida pegou 'emprestado' dois livros do Shelorck Homes, então irei tirar os dois últimos e trocarei pelo livro Como ser polpular, da Meg Cabot.
Espero que eu consiga. Já estou lendo esse livro, terminado o primeiro ontem.
Livro do momento: Como ser Popular!




Aqui está a minha carta para o primeiro desafio do Blog Por essas páginas!


Caro, Severo Snape

Deve ser estranho receber uma carta, principalmente uma que destina ao senhor. Mas não se preocupe, não está enfeitiçada com qualquer traquinagem dos gêmeos Wesleys ou coisa do tipo. É algo significativo.

Senhor é tão humano, que me pergunto como odiei e amei tanto? Ao conhecê-lo - seu jeito frio, arrogante, sua narina avantajada que parecia cheirar algo podre e suas implicâncias com pobre garoto com raio na testa – me fez pensar o quanto é um bruxo amargurado com a vida. Egoísta demais. Mas do decorrer dos parágrafos da convivência, notei uma minúscula esperança de afeto e coragem e depositei no senhor minha fé. Estranho, porém, suponho que ao compreendê-lo, me vi refletida como água do lago, antes agitada pela pedra e, aos poucos, sua calmaria mostrava a verdade nítida e crua, contudo, aceitável perante as pessoas de muita piedade.

É, eu, de alguma forma, dispunha uma ternura ao senhor. Ternura sem compreensão, até me trair ao matar Dumbledore. Infelizmente, meus sentimentos não tinham mudado e, sim, a confusão pairava sobre meu coração. Minha mente trabalhava aos mil, tentando, de alguma forma, entender aquela infidelidade. Por que não poderia ser uma farsa?

O senhor teve que morrer para entendermos seu lado. Vi um homem amoroso que caiu na própria mente corrompida, o senhor foi fraco por aquilo, mas conveio mudar por ela. Lílian, sua doce amada, Lílian.

Reconheci-me no senhor. Um homem que não mostra sua melhor parte, mesmo tendo uma, caiu na própria desgraça construída aos poucos, porém, graças, temos uma diferença. Eu me reergui como nunca pensei que faria, sou diferente como fui. Não posso dizer que sou totalmente grata ao senhor, Severo Snape, porém certa parte foi e sempre será sua, que me fez olhar de outra perspectiva. Estou fazendo algo que deveria ter feito: seguir o seu coração, faze-lo feliz. Eu amo alguém como nunca amei, irei cuidar dele como nunca fiz na vida. Quero ser feliz com ele, caso ele queira comigo, pois este, como sua Lílian, tenta de todas as formas, mostrar o meu lado bom e expandi-lo.

Queria muito que entendesse antes do trágico infortuno.

Da princesa mestiça, Emanuelle!

3 comentários:

  1. Oh God, me emocionei com esta carta. Amei, *-*

    http://confusamelodia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Ahh Snape <3 ... desde o primeiro filme, quando todos o odiavam, eu sempre fui fiel, amei do começo ao fim *-* .
    Sua carta ficou linda, linda!!

    Beijos,
    Myris
    http://www.nacabeceiradacama.com.br

    ResponderExcluir
  3. Snape é um personagem que me encantou por ser tão humano quanto os outros. Cometei erros e tentou os corrigir pela mulher que amava.
    Quando eu escrevi essa carta, meio que chorei. kk
    Obrigada pelo comentário!

    ResponderExcluir

Utopianos por e-mail